Estou mais vivo do que nunca, diz Aécio

Depois de confirmada a vitória da presidente Dilma Rousseff (PT) no 2.º turno da eleição presidencial, o candidato do PSDB, Aécio Neves, deixou o apartamento de sua irmã, Andrea Neves, em Belo Horizonte e foi até um hotel no centro da cidade acompanhado de uma comitiva de tucanos, aliados e celebridades de vários estados. 

Em um breve pronunciamento, que durou pouco mais de dois minutos, o tucano fez um discurso de conciliação. ‘Cumprimentei agora há pouco a presidente reeleita e desejei a ela sucesso na condução do seu próximo governo. Ressaltei que considero que a maior de todas as prioridades deve ser unir o Brasil em torno de um projeto honrado, que dignifique a todos os brasileiros‘. 

O senador, que terá mais quatro anos de mandato pela frente no Congresso, não respondeu perguntas. Em sua fala, Aécio lembrou o apóstolo Paulo. ‘Mais uma vez São Paulo é que trata de forma mais clara o sentimento que tenho hoje na minha alma e no meu coração: combati o bom combate, cumpri minha missão e guardei a fé‘, afirmou. Aécio passou o dia em seu apartamento e no final da tarde foi para o da irmã, onde recebeu dirigentes tucanos e aliados. 

Havia a expectativa da chegada do ex-presidente Fernando Henrique Cardoso e do governador Geraldo Alckmin, o que não se confirmou. De São Paulo vieram o senador eleito José Serra e o senador Aloysio Nunes Ferreira, candidato a vice na chapa tucana. 

Em coletiva realizada pela manhã, o presidenciável, que falou ao lado da esposa, já havia feito um discurso pedindo a união a nacional, mas disse ter ‘muito melhores condições‘ para promover um entendimento nacional do que sua rival, Dilma Rousseff (PT). Mas acusou o PT de promover ‘a mais sórdida campanha jamais feita no País, com ofensas, calúnias e mentiras‘ para se manter no poder e disse que sua candidatura deixará como lembrança no Brasil a mobilização nas ruas.

Estadão

Comentários