Estudantes da Unemat encerram greve

Acadêmicos de medicina da Universidade Estadual de Mato Grosso (UNEMAT) decretaram fim da greve na manhã desta segunda-feira (27). Há mais de 2 meses de braços cruzados, alunos decidiram voltar às atividades, após uma convocação da reitoria que exigia a volta às aulas a partir do dia 28. 

A paralisação que durou 76 dias gerou muitos protestos na Capital e também em Cáceres (225 km a oeste da Capital), cidade onde estudam. Segundo o os alunos, que mantiveram em todo o período um blog para informar a sociedade sobre os desdobramentos da greve, “o sentimento é de decepção com a postura da Unemat. Porém, o fim da greve não implica no fim da busca por melhor qualidade de ensino”. 

Embora fosse decretado o fim da greve, os acadêmicos garantiram que irão acompanhar todos os itens acordados com a instituição, durante audiência de conciliação, para que as promessas sejam cumpridas. Recentemente os acadêmicos se reuniram com o governador eleito, Pedro Taques (PDT), para apresentar os problemas do curso. Eles se encontraram também com o atual governador, Silval Barbosa (PMDB), juntamente com o secretário da Casa Civil, Pedro Nadaf, pelo mesmo motivo.

Durante as reuniões, foi acordado a reestruturação do curso através da Lei Orçamentária Anual (LOA), fato que deve ser debatido com o grupo de transição de Taques neste período. Os estudantes também estiveram reunidos com os deputados estaduais e membros da Comissão de Educação da Assembleia Legislativa para tentar avanços nas reivindicações. 

Eles alegam que há falta de estrutura nos blocos, além da ausência de laboratórios que estão em reforma há meses e não são entregues. Estudantes reclamam também da carência de livros essenciais que auxiliam na formação dos acadêmicos, sinal de wi fi nas salas, transporte interno na universidade, cobram a implantação do Restaurante Universitário, entre outros pontos.

Gazeta Digital

Comentários