Grupo Modelo tem falência decretada

A Justiça de Mato Grosso decretou a falência do Grupo Modelo. A decisão, proferida pelo juiz da 1ª Vara Cível de Cuiabá, Flávio Miraglia Fernandes, foi motivada pelo pedido formulado pela própria empresa, que alegou insolvência, ou seja, total falta de condições de se recuperar a ponto de conseguir quitar suas dívidas. Com isso, fica cancelado o processo de recuperação judicial da rede de supermercados. 

A decretação da falência atinge as 4 empresas do grupo, sendo elas o Supermercado Modelo, Transportadora Modelo, ABS Distribuição de Alimentos e Bom Dia Comércio, Importação e Exportação. A dívida do conglomerado ultrapassa, segundo cálculos efetuados no andamento do processo, R$ 315 milhões. Os advogados do grupo explicaram no pedido que por conta do alto endividamento das empresa, cuja dívida quadruplicou em apenas 2 anos, a rede enfrentava sérias crises. 

A situação teria sido agravada após decisão do Tribunal de Justiça de Mato Grosso, que cancelou a assembleia geral de credores e estabeleceu uma trava bancária, por conta de agravo de instrumento interposto pelo Banco Safra. No processo, os representantes do Modelo destacam que “a situação [...] é caótica, não existindo a menor possibilidade de prosseguir em suas atividades, pois, desprovidas de qualquer capital de giro e acumulando um passivo [...] o grupo se encontra em estado de insolvência”. 

O magistrado explica na decisão que a recuperação judicial é uma forma de se tentar evitar a falência, com a oportunidade de devedores e credores negociarem os débitos. No entanto, isso não é mais possível neste caso. “Ao contrário, postergar a decretação da falência aumenta ainda mais a aflição dos credores que estão ansiosos para saber o desfecho do procedimento que será adotado diante do fechamento dos estabelecimentos comerciais e, aumentará as despesas financeiras”, afirma o magistrado. 

Fernandes entende que diante deste quadro não há outra alternativa senão decretar a falência. “Se as próprias autoras/devedoras não vislumbram qualquer alternativa para equilibrar a situação patrimonial com suas finanças e diante do atual cenário econômico das sociedades empresárias, tenho que adecretação da quebra é medida que se impõe”. Fundado em 1984, o Grupo Modelo obteve um crescimento exponencial e, em seu ápice, chegou a ter 36 lojas. As empresas empregavam 3 mil trabalhadores diretos e geravam aproximadamente 1 mil postos de trabalho de forma indireta.

Gazeta Digital

Comentários