Black Friday cresce em 2014 e vai até domingo


A Black Friday, data que marca o início das vendas de Natal nos Estados Unidos com grandes promoções e descontos, ganhou mais adesões no Brasil este ano em vários setores e deve se estender no fim de semana.
A campanha para alavancar as vendas aproveita o ânimo dos assalariados que estão recebendo a primeira parcela do décimo terceiro salário.
Várias redes de varejo estão anunciando descontos especiais até O domingo, 20, e os supermercados Extra abriram a Black Friday ontem às 22 horas para virar a noite atendendo os consumidores interessados em antecipar as compras de Natal.
A grande adesão de lojas físicas e de sites de comércio eletrônico mostra que a data importada da cultura americana continua ganhando força no varejo brasileiro.
No comércio online, a Black Friday já se consolidou como a data mais importante do ano, com expectativa de vendas de mais de R$ 1 bilhão pela primeira vez este ano.
Black fraude - Após grande número de queixas de consumidores em 2012 e 2013, quando se popularizou a expressão ‘o dobro pela metade do preço‘, este ano as lojas virtuais aderiram ao código de ética da Black Friday, uma iniciativa da Câmara Brasileira de Comércio Eletrônico (Câmara E-net).
O selo ‘Black Friday Legal‘ aparece nos sites de empresas que se comprometeram publicamente a oferecer descontos reais durante a promoção.
A maior parte dos problemas relatados por consumidores em 2013 foi de sites fora do ar ou dificuldade para fechar compras, segundo o portal Reclame Aqui.
Para a edição de 2014, as empresas investem pesado em marketing e em infraestrutura de rede. A previsão do E-bit, empresa especializada em informações sobre o comércio eletrônico, é de que a Black Friday alcance R$ 1,2 bilhão em vendas só no comércio eletrônico.
Nos shoppings Villa-Lobos, Mooca Plaza, Metrô Santa Cruz e Jardim Sul, em São Paulo, as lojas vão funcionar hoje até domingo, das 7h às 23h.
Quem chegar de carro até as 10hs terá isenção da taxa de estacionamento até o meio-dia. No sábado, 29, lojas abrirão das 10h às 23h e no domingo, 30, das 14h às 20h.
Segundo uma pesquisa da Serasa, os smartphones são os produtos mais pesquisados. No topo da lista está o Moto G, aparelho da Motorola, seguido do iPhone, da Apple, e do Moto X, também da Motorola.
Drones - O esforço para atrair consumidores este ano contou com tecnologia de última geração. Duas lojas usaram drones para ações inusitadas.
A Camisaria Colombo promoveu um ‘Desfile nas Alturas‘, com manequins voadores anunciando as ofertas da loja.
‘Buscamos uma forma inovadora de ir aonde o nosso público está e mostrar que há ofertas que ele simplesmente não pode perder‘, comentou Caroline Saraiva, gerente de Marketing da Colombo, por meio de nota.
O site de comércio eletrônico Mercado Livre colocou um drone para sobrevoar as calçadas da Avenida Paulista, anunciando descontos de até 70%, parcelamento sem juros e frete grátis.
Entre as empresas que participam da promoção estão a Ricardo Eletro, Polishop, Von Dutch e Decathlon. Na segunda-feira, dia 1º de dezembro, o Mercado Livre fará a Cybermonday, estendendo um pouco mais a promoção.
Waze - Outro recurso tecnológico usado este ano é o aplicativo Waze, que vai alertar os usuários sobre as promoções nas lojas das Casas Bahia e Ponto Frio.
O Waze, muito usado para ajudar no trânsito, vai identificar a localização das 1.023 lojas das redes de varejo nos seus mapas e traçar as melhores rotas até as unidades escolhidas.
Além das tradicionais redes de varejo, a Black Friday brasileira já tem adesão de companhias de aviação, construtoras e restaurantes.
Até os motéis aderiram, anunciando a Black Monday, com descontos de até 50% em suítes na segunda-feira, 1º de dezembro, até às 6h da manhã do dia 2.
A intenção é aumentar a receita em um dia em que o movimento é tradicionalmente baixo. Mais de 60 motéis da associação brasileira do setor participam da promoção. (As informações são do jornal O Estado de S. Paulo)

Comentários