Delegados e agentes de MT têm os salários mais altos do país


Os delegados e investigadores da Polícia Judiciária Civil de Mato Grosso recebem os salários mais altos de todo o país. 

A informação consta no 8º Anuário Brasileiro de Segurança Pública, produzido pelo Fórum Brasileiro de Segurança Pública e divulgado na terça-feira (11). 

De acordo com o levantamento, um delegado no Estado tem um vencimento bruto inicial de R$ 13.732,00 e uma remuneração inicial bruta de R$ 18.837,00. 

No Acre, por exemplo, o vencimento inicial bruto é de R$ 1.881,60 e remuneração inicial, de R$ 9.600,00. 

Em São Paulo, o salário inicial é de R$ 2.724,66 e remuneração de R$ 6.709,32. 

Conforme o Anuário, por vencimento é considerado o soldo, ou salário base, excluído de adicionais, gratificações ou outras vantagens pecuniárias comuns a todos os profissionais da respectiva categoria. 

Remuneração corresponde ao vencimento, ou soldo, ou salário base, acrescido de adicionais, gratificações ou outras vantagens pecuniárias comuns a todos os profissionais da respectiva categoria. 

No caso dos investigadores, o vencimento e remuneração são, respectivamente, R$ 2.706,00 e R$ 6.854,00. 

No Rio Grande do Sul, um investigador tem um vencimento de R$ 578,73 e uma remuneração de R$ 1.863,51. 

Na Bahia, a categoria tem um vencimento de R$ 783,14 e uma remuneração de R$ 2.878,34. 

Polícia Militar

A Polícia Militar de Mato Grosso também tem os melhores salários do país, conforme levantamento do Anuário Brasileiro de Segurança Pública. 

Um coronel tem o salário bruto inicial de R$ 17.596,91 e um tenente-coronel, de R$ 7.928,15. 

No Rio Grande do Sul, na mesma patente, os salários são, respectivamente, de R$ 7.928,15 e R$ 7,559,98.

Violência

Por outro lado, o Estado de Mato Grosso é o oitavo em número de pessoas mortas de forma violenta no Brasil, conforme o 8º Anuário Brasileiro de Segurança. 

De acordo com o levantamento - que, neste caso em específico, faz um comparativo entre 2009 e 2013 -, em crimes violentos letais intencionais, Mato Grosso teve um crescimento de 30%. 

Os crimes agregam homicídio doloso, latrocínio (roubo seguido de morte) e lesão corporal seguida de morte. 

Em 2009, 885 pessoas foram mortas. O número saltou para 949 em 2010, 1.015 no ano seguinte, 1.047 em 2012 e 1.152 em 2013. 

Mídia News

Comentários