PF apreende R$ 13,4 milhões em operação contra o tráfico

Parte do dinheiro apreendido pela PF
Ao cumprir nesta terça-feira (4) os 48 mandados expedidos pela Justiça Federal, sendo 7 de prisão temporária contra traficantes que integram uma quadrilha de tráfico internacional de drogas, a Polícia Federal (PF) também apreendeu a quantia de R$ 13,4 milhões entre reais, cheques, dólares e euros. Veículos novos e jóias também foram apreendidos, mas a PF não informou a quantidade e nem modelos. Diversos documentos também foram apreendidos.
A Operação Veraneio foi deflagrada para desarticular a quadrilha sediada em Sinop (500 Km ao norte de Cuiabá), voltada para a prática dos crimes de tráfico internacional, associação para o tráfico e lavagem de dinheiro, no Brasil, Venezuela e Honduras. A Polícia Federal não divulga os nomes dos traficantes presos. Dentre os 48 mandados estão ainda 24 buscas e apreensões, e 17 conduções coercitivas que foram cumpridos em Mato Grosso, Amazonas São Paulo e Minas Gerais.
Em Sinop, pelo menos 2 foram cumpridos em uma residência, no bairro Jardim Maringá contra um homem e uma mulher. Os agentes também cumpriram 17 conduções coercitivas quando a pessoa é levada à delegacia para prestar esclarecimentos e outros 24 mandados de buscas e apreensões. O município de Sorriso (420 km ao norte da Capital) também foi alvo da operação.
Os mandados expedidos pela Justiça Federal também foram cumpridos em 3 cidades de Minas Gerais sendo elas: Pará de Minas, Formiga e Belo Horizonte, outros 7 municípios de São Paulo: Atibaia, Campinas, Tatuí, Sorocaba, São Paulo, Mogi das Cruzes, Guarulhos e Ribeirão Preto (SP). No estado do Amazonas foram cumpridos mandados em 2 cidades: Manaus e Tabatinga.
De acordo com a PF, a quadrilha baseada em Sinop adquiria aeronaves no Brasil e as adaptando ao transporte de cargas, adulterando o prefixo identificador. Também era responsável por todo o transporte entre a Venezuela e Honduras, onde abandonavam a aeronave e retornavam ao país em voo comercial. A operação contou com o apoio da Polícia de Honduras, da Força Aérea Colombiana e da Agência Antidrogas dos EUA (DEA), responsáveis pela captura de aeronaves e apreensão de drogas em solo hondurenho, além da Força Aérea Brasileira.
Os 7 presos serão indiciados pelos crimes de tráfico internacional de drogas, associação para o tráfico internacional, lavagem de dinheiro e organização criminosa transnacional. De acordo com a PF, a investigação teve início em  2011 e estima-se que eram transportadas cerca de uma tonelada de cocaína por mês entre a região de Apure na Venezuela, fronteira com a Colômbia e dominada pelas Forças Armadas Revolucionárias da Colômbia (Farc), tendo como destino Honduras, visando abastecer cartéis sediados no México.
Gazeta Digital

Comentários