Vendendo “estilo de vida”, Harley-Davidson abre as portas em Cuiabá


Loja abriu as portas na quarta-feira (19) e irá disponibilizar pelo menos 20 modelos da marca

Prometendo vender um “estilo de vida”, e não apenas motos de altas cilindradas, a Harley-Davidson inaugurou sua primeira loja em Mato Grosso, a Rota 65, situada na Avenida Fernando Corrêa da Costa, em Cuiabá.

A inauguração ocorreu na terça-feira (18) e contou com a presença de clientes vindas do interior do Estado, além do diretor-superintendente comercial da Harley-Davidson do Brasil, Longino Morawski.

“Essa é a nossa 19ª loja no Brasil e temos um plano de expansão que prevê a abertura de mais cinco concessionárias em outras capitais do país”, disse.

A concessionária conta com espaço de vendas de motos de, no mínimo, 900 cilindradas, acessórios, serviços de manutenção, lojas de roupas da marca e um bar para encontro dos “harleyzeiros”.


"Temos uma demanda reprimida de seis a oito meses, de pelo menos 140 clientes que compravam conosco em Campo Grande"

Ao todo, o Grupo Enzo, responsável pela unidade, investiu R$ 4 milhões para construção da loja de 800 m², que abriu as portas nesta quarta-feira (19).

Segundo o diretor geral da Rota 65, Karlos César Fernandes, havia uma demanda reprimida no Estado e muitos pedidos eram feitos à concessionária localizada em Campo Grande (MS). 

“Temos uma demanda reprimida de seis a oito meses, de pelo menos 140 clientes que compravam conosco em Campo Grande”, disse.

A loja é dividida em três ambientes: a oficina, equipada com quatro boxes de atendimento, o térreo onde fica o showroom e o andar superior, dedicado à venda de acessórios e MotorClothes, juntamente do bar que funcionará como ponto de encontro e espaço de eventos do H.O.G - Harley Owners Group.

“A proposta é realizar um café da manhã todos os sábados, das 8h às 10h30, e promover viagens de ‘bate e volta’ para alguma região próxima, fazendo desse encontro uma atividade frequente”, explicou Kenia Camila, uma das sócias-diretoras da Rota 65.


"Teremos roupas e acessórios femininos, masculinos, infantis e para bebês, além de brinquedos, relógios, peças para presentes e camisetas personalizadas com a Rota 65. Queremos que aqui seja, antes de tudo, um ponto de encontro"

Segundo Kenia, o objetivo do bar e da loja é fazer com que mesmo quem não tem familiaridade com a marca possa conhecer os produtos e experimentar o estilo de vida dos “harleyzeiros”, mesmo sem ter uma moto.

“Teremos roupas e acessórios femininos, masculinos, infantis e para bebês, além de brinquedos, relógios, peças para presentes e camisetas personalizadas com a Rota 65. Queremos que aqui seja, antes de tudo, um ponto de encontro”, disse.

Assistência

Segundo o diretor da Rota 65, a empresa irá oferecer um atendimento volante para clientes do interior que será implantando dentro de até seis meses e terá equipes que se deslocarão até os clientes não apenas para realizar as vendas, mas também para garantir a manutenção das motos.

A medida, aliás, foi elogiada pelos clientes, como é o caso do empresário Paulo Malaquini, de 58 anos, que há 30 dias fez uma tatuagem em homenagem à marca e veio de Sinop para a Capital buscar sua novo moto, de 1.700 cilindradas, para que possa fazer uma viagem pela América do Sul em maio de 2015.

“É importante você dar essa assistência técnica. O pós-venda de uma marca é muito importante, porque é o que segura o cliente. E eles vieram com uma proposta muito boa nesse sentido”, disse.

Malaquini conta que comprou sua primeira Harley-Davidson em 1994, tendo se apaixonado pela marca aos 16 anos de idade.

“A Harley é tudo. A história comigo começou quando assisti aquele filme americano, Easy Rider (Sem Destino). Sempre fui apaixonado por motos e a marca é muito forte. Desde então, sempre tive, primeiro comprando com importadores, e, depois, das concessionárias no Brasil”, disse.

Mídia News

Comentários