Cervejaria quer abrir nova fábrica em MT

Uma das mais importantes indústrias cervejeiras do Brasil, a Petrópolis, instalada em Rondonópolis (a 200 km de Cuiabá), que gera 1,712 mil empregos diretos e outros 82 mil indiretos segundo dados da Associação Brasileira da Indústria de Cerveja (CervBrasil), vai diversificar seus investimentos em Mato Grosso e analisa a possibilidade de instalar uma indústria de esmagamento de soja para produção de óleo para consumo humano e de farelo de soja de alta proteína para nutrição animal que é vendida para vários países do mundo, principalmente da Europa.
A Petrópolis é fornecedora de ração animal para a Alemanha, Itália, França e para a Noruega, que é o maior produtor do mundo de salmão. O farelo de soja de alta proteína para nutrição animal é concebido a partir de soja orgânica não-transgênica produzida em Mato Grosso, mas industrializada no Paraná.
Como não se esmaga soja em Mato Grosso para produção de óleo comestível e produção de ração animal, graças a um Protocolo do Conselho Nacional de Política Fazendária Confaz de nº 15/1974, a produção da Divisão de Cereais da Petrópolis é esmagada no Paraná e recolhe para a Fazenda Pública mato-grossense o ICMS decorrente dessa operação, o que entre 2011 e 2014 já representou o recolhimento da ordem de R$ 110 milhões.
A Cervejaria Petrópolis está instalada em Mato Grosso desde o ano de 2006, numa articulação realizada pelo então governador Blairo Maggi (PR), hoje senador da República, e é considerada uma das 4 maiores marcas de cerveja do Brasil.
A chegada da indústria no Estado só foi possível graças aos incentivos fiscais concedidos para a Divisão de Bebidas, já que na Divisão de Cereais não existem benefícios fiscais concedidos. Mesmo com os incentivos concedidos para produção de bebidas, a empresa investiu próximo de R$ 200 milhões em suas instalações numa área de 411.544,00 metros quadrados e 25.500,00 metros quadrados de área construída.
A imponência da empresa pode ser medida pelo seu consumo de energia elétrica que em outubro deste ano foi de 2.457.886 KWh, energia suficiente para iluminar 20 mil residências de padrão médio.
Fora isto a indústria participa de ações de mobilização ambiental, tornando a mesma ambientalmente correta ao executar o plantio de 113,490 mil árvores em diversos pontos do município de Rondonópolis e promovendo a educação ambiental.
A Petrópolis foi apontada como excelente na política de benefícios concedidos aos trabalhadores da indústria, como transporte, alimentação em 5 refeições diárias (café da manhã, almoço, café da tarde, jantar e lanche da noite), plano de saúde com co-participação, vale alimentação, cesta básica, bolsa escola (50% pago pela empresa), auxílio para excepcionais, auxílio creche e participação nos lucros e resultados.
Os estudos iniciais demonstram a importância da instalação de uma 2ª indústria do Grupo Petrópolis, só que de esmagamento de soja para produção de óleo para consumo humano e farelo de soja para ração animal e que deverá consumir recursos superiores aos investidos na fábrica de cerveja em Rondonópolis, além de gerar emprego, renda e principalmente dividendos para o Estado e para a localidade aonde deverá ser instalada a unidade depois de finalizados os estudos e o planejamento.
Gazeta Digital

Comentários