Motorista que matou ciclista diz que fugiu por "medo de apanhar"

O motorista Fábio Melo, 32, confessou a autoria
da morte do advogado José Eduardo Carvalho

O delegado Romildo Souza, adjunto da Delegacia de Delitos de Trânsito (Deletran), encaminhou nesta quarta-feira (7) à Justiça o pedido de prisão preventiva contra o motorista Fábio Melo, 32. 

Em depoimento prestado no começo da tarde de hoje, Melo confessou que atropelou um grupo de ciclistas, no dia 31 de dezembro na Rodovia Emanuel Pinheiro (MT-251). 

O advogado José Eduardo de Carvalho, 59, morreu na hora. Valdeci Soares, 50,  e Diogo Azevedo, 32, que acompanhavam Carvalho, ficaram feridos.

Durante depoimento na delegacia, Fábio Melo chorou e disse que não teve intenção de matar ninguém.

“Eu não sou bandido. Isso nunca aconteceu comigo. Eu vacilei por um minuto e acabei tirando a vida de uma pessoa. Estou muito arrependido”, disse o motorista. 

Fábio ainda afirmou que fugiu do local após ter atropelado o grupo por medo de apanhar dos colegas dos ciclistas atingidos pela picape Saveiro que ele conduzia. 

“Eles eram muitos. Eu, na verdade, nem notei que havia matado uma pessoa. Eu fui mexer no som do carro e me atrapalhei. Sai da pista e bati nos ciclistas. Fugi porque sabia que, se eu ficasse, eu ia apanhar e muito”, contou o motorista. 

“Bebeu, sim” 

Questionado pelos jornalistas, Fábio Melo repetiu o que dissera no depoimento que prestou ao delegado Romildo Souza. “Eu não bebi”. Porém, o delegado o desmentiu. 

“Ele bebeu, sim. O depoimento dele é contraditório ao prestado por várias testemunhas. Ele bebeu, sim, numa festa, antes de pagar a rodovia em direção à Chapada dos Guimarães. Com certeza, ele foi instruído por sua advogada a falar que não ingeriu bebida alcoólica. Mas, vou indiciá-lo também por embriaguez”, afirmou o delegado. 

Segundo Souza, o motorista será denunciado por seis crimes. 

“Ele cometeu homicídio no trânsito. Ainda avaliaremos se é culposo ou doloso. Deu bebida a menor, cometeu dupla lesão corporal, fugiu da cena do crime, omitiu socorro e ainda cometeu fraude processual”, explicou o delegado.

Advogada

A advogada de Fábio, Joelma Dias, disse que seu cliente não bebeu na festa e tampouco antes de dirigir. Para ela, o que aconteceu foi um acidente. 

“Eu não sei onde ele estava. Ele se apresentou hoje para mim e disse que não bebeu e que não parou com medo de apanhar. Agora, é esperar para ver o que a Justiça decide”, disse. 

Joelma Dias informou que, a partir desta quarta-feira, vai trabalhar com o pedido de revogação da prisão de seu cliente. 

“Eu sei que ele será preso. Foi liberado hoje, mas, assim que a Justiça determinar o seu encaminhamento para a cadeia, eu entro com pedido de revogação de prisão. Será a primeira vez em que ele irá para a prisão. E reafirmo que ele não estava bêbado quando ocorreu o acidente”, completou a advogada. 

Após prestar depoimento, Fábio Melo foi liberado. Ele aguardará a decisão judicial em casa. 

O motorista não quis dar mais detalhes sobre onde estava durante o tempo em que ficou foragido e o motivo pelo qual descaracterizou o veículo que atropelou os ciclistas. 

Mídia News

Comentários