Mortes em rodovias federais crescem 83%


O número de mortes em rodovias federais de Mato Grosso aumentou 83% neste mês de janeiro, se comparado com o mesmo período em 2014. Em 2015 foram 33 óbitos, em 13 acidentes graves, enquanto no ano passado a Polícia Rodoviária Federal (PRF) registrou 18 vítimas. O caso mais grave ocorreu essa semana quando um ônibus da empresa Satélite Norte tombou na BR-070 e matou 11 passageiros.
Mais uma vez, a imprudência dos motoristas é apontada como a principal razão para os registros. O chefe do Núcleo de Comunicação da PRF, Evandro Augusto Machado, cita que os dados estatísticos demonstram que a ultrapassagem forçada, seguida do excesso de velocidade e embriaguez ao volante são as ocorrências mais registradas e que mais provocam mortes.
Dos 13 acidentes mais graves, sete são colisões frontais, quase sempre provocadas por excesso de velocidade ou ultrapassagem forçada. O coordenador pontua que a maioria das colisões, principalmente as com mortes, é relacionada com a tentativa de ultrapassagem em locais não permitidos ou sem condições favoráveis para a manobra.
Por este motivo, a PRF autuou 2.200 motoristas neste primeiro mês do ano. Em novembro de 2014, entrou em vigor legislação mais severa para tentar coibir esta prática. O valor da multa subiu de R$ 191,54 para R$ 1.915,40 Além disso, o motorista ficará um ano sem dirigir, semelhante ao caso da condutor que dirige sob efeito de álcool e drogas. Também está previsto o dobro da multa caso o condutor cometa a mesma infração num período de 12 meses, ou seja, R$ 3.830,80.
Segundo Evandro, a medida provocou diminuição nos registros somente no primeiro mês. Agora, os números voltaram a subir.
Por excesso de velocidade, somente em janeiro a PRF multou 7.900 motoristas que trafegaram nas cinco rodovias de Mato Grosso. Os registros foram feitos por oito radares móveis da Instituição. “Temos casos absurdos de motoristas dirigindo a 200 km/h. Outro flagrante mostra um condutor passando a 125 km/h em uma área que corta a zona urbana e a velocidade permitida é 60 km/h”.
O terceiro fator preocupante, a embriaguez ao volante, resultou na autuação de 56 motoristas, contra 18 no mesmo mês de 2014. O aumento é de 211%.
Para Evandro, a intensificação da fiscalização é um dos fatores que levam ao aumento das notificações. Mas ele destaca que o motorista tem a cultura da imprudência, o que resulta em casos de mortes.

Jornal A Gazeta

Comentários