RJ: Conselho de Medicina abre sindicância para apurar morte de modelo

O Cremerj (Conselho Regional de Medicina do Estado do Rio de Janeiro) abriu sindicância para apurar as circunstâncias da morte da modelo Raquel Santos, de 28 anos. Ela morreu na última segunda-feira (11) após se submeter a um procedimento de preenchimento facial.
De acordo com o Conselho, embora não seja obrigatório que os profissionais inscritos no órgão informem a sua especialidade, o médico Wagner Alberto de Moraes, que realizou o procedimento, não tem título de especialista registrado.
R7 procurou Moraes, mas até as 18h10 não havia conseguido contato com o médico.
Segundo a entidade, a apuração do caso precede o processo ético profissional. Em caso de condenação, as punições vão desde advertência confidencial até cassação do exercício da medicina.
Wagner Moraes, dono da clínica onde a jovem realizou o procedimento, afirmou que a ela não revelou que aplicava estimulante de cavalo nas coxas.
— Isso é uma bomba. Isso explode. Assim como aumenta a coxa, aumenta também o coração, que também é o músculo. Então, o que ocorreu ontem, não foi um assunto de cirurgia plástica.
O corpo da jovem estava sendo velado na terça-feira (12), mas a cerimônia foi interrompida pela polícia e o enterro suspenso. O velório e o sepultamento acontecem na tarde desta quarta-feira (13) no cemitério Parque da Paz, em São Gonçalo, região metropolitana do Rio de Janeiro.
Ela seria enterrada às 16h de terça  no mesmo cemitério. Entretanto, uma delegada compareceu ao velório para que o corpo passasse por autópsia no IML (Instituto Médico Legal). O cartório responsável por emitir a certidão de óbito acionou a polícia para que exames fossem realizados antes do sepultamento.
Fonte R7

Comentários