Governo propõe 5% de RGA em 2 parcelas

Patrícia Helena Dorileo, repórter do GD

(Atualizada 12h18) O governo do Estado apresentou nesta segunda-feira (30) uma proposta para pagamento da Revisão Geral Anual (RGA) aos servidores públicos e, assim, evitar a greve geral que já estava prevista: 2% em setembro e 3% em janeiro de 2017.
Após a reunião entre os representantes dos sindicatos e a equipe da Câmara Fiscal nesta manhã, os sindicalistas saíram claramente insatisfeitos. “É um retrocesso, a proposta é ridícula”, diz Edmundo César Leite, presidente do Sindicato dos Profissionais da Área Instrumental (Sinpaig). Oscarlino Alves, presidente do Sindicato dos Servidores da Saúde e do Meio Ambiente (Sisma) diz que é “indecorosa, longe do aceitável”,
No dia 06 de maio, o governador Pedro Taques (PSDB) já havia dito que não tinha condições nenhuma de conceder a reposição salarial, que deveria ser de 11,28%, que corresponde ao Índice Nacional de Preços ao Consumidor (INPC) de janeiro a dezembro de 2015. Dos 32 sindicatos que compõem o Fórum Sindical, 28 já haviam indicado greve para o dia 31 de maio e 01 de junho por conta desse posicionamento.
O presidente do Sisma já adiantou que a greve está mantida na categoria. “Vamos manter funcionando 100% da urgência e emergência, os 30% dos serviços e os procedimentos eletivos reagendados. Não queremos prejudicar a população”, complementa Oscarlino.
A Câmara Fiscal reuniu-se durante todo o feriado prolongado de Corpus Christi para debater essa proposta. O secretário de Estado de Gestão, Julio Modesto, afirma que os 5% parcelados é tudo o que o governo pode pagar. “Não vamos ser irresponsáveis e pagar os 11,28% da RGA e atrasar os salários”, reitera.
“O Estado mediu o impacto dos 2%, o impacto dos 3% na despesa de pessoal e qual o tamanho da receita par poder superar tudo isso. Estamos trabalhando com possibilidades de crescimento de receita, novas capturas do CIRA (Comitê Interinstitucional de Recuperação de Ativos), denúncias fiscais. Para que todo esforço aconteça, precisamos que os servidores não façam greve”, explica e apela o secretário Modesto.
O Estado ainda reforça que 15 federações estão atrasando o salário, 25 não vão dar nada da RGA.
Contraproposta 
Oscarlino Alves ainda diz que a proposta do governo foi rejeitada por 100% dos servidores em uma rápida enquete na mobilização após a reunião.
O Fórum Sindical apresentará uma contraproposta ao governo. Foi votado que até o final do ano o Estado pague a RGA integral, mas todas as parcelas retroativas a maio.
“Estamos aceitando o parcelamento, desde que pague os 11,28%. Foi apresentado para nós 5%. Vamos perder os 6,28%? Isso não tem nexo”, finaliza o presidente do Sinpaig.
“Estamos dando uma grande flexibilização para o governo”, diz James Jaudy, representante do Fórum Sindical. “Se nos disser que conosco não há diálogo, vamos ter que tomar alguma atitude. Veja bem, essa reunião de hoje, nós fomos avisados ontem às 5 horas da tarde, mobilizamos todos. Falar que não estamos com boa vontade? Não posso admitir isso”, finaliza Jaudy.

Comentários