Servidores do Indea param hoje e agentes prisionais na 5ª

Patrícia Helena Dorileo, repórter do GD

Os servidores do Instituto de Defesa Agropecuária de Mato Grosso (Indea) paralisam hoje (15), amanhã (16) e quarta-feira (17) em todo o Estado. Na última assembleia da categoria, no dia 21 de julho, eles determinaram o estado de greve e na última sexta-feira (12) decidiram parar as atividades nesta semana devido ao não ressarcimento dos pontos que foram cortados de servidores que entraram em greve.
A notificação do presidente do Indea, Guilherme Nolasco, foi feita no dia 5 de agosto, tendo 48 horas para responder, porém a determinação não foi cumprida. Já somam R$25 mil em multa. Onze dias foram cortados da folha do pagamento dos servidores que participaram da greve geral entre o mês de maio e junho. O Sindicato dos Trabalhadores do Sistema Agrícola, Agrário, Pecuário e Florestal do Estado de Mato Grosso (Sintap) entrou na Justiça e ganhou a liminar para que houvesse o ressarcimento, sob multa de R$5 mil por dia.
Diany Dias, presidente do Sintap, foi informada que ainda não há ordem governamental de criação de folha suplementar para essa finalidade.
“Obedecemos ao prazo para assembleia geral e, por isso, fomos a última categoria a entrar na greve dos servidores. As liminares de Famato e Acrismat e de outras entidades que nos chegaram foram prontamente cumpridas durante a greve. Já o governo desfaz da Justiça há tempos quando não paga a Unidade Real de Valor (URV) que ganhamos judicialmente e até hoje não foi paga; também quando deveria retornar a identificação da madeira, uma causa ganha por duas vezes e não cumprida por Taques, bem como o não cumprimento da lei que garante a Revisão Geral Anual (RGA)”, ressalta Dias.
Ela ainda lembra determinada ocasião onde Nolasco afirmou que “liminar não se discute, se cumpre”, quando indagado o que aconteceria se o sindicato vencesse a liminar.
“Tentamos agendar uma reunião com Júlio Modesto (Secretário de Estado de Gestão), mas não nos atende. Ao longo dessa semana, a presidente tentará agendar com o governo para obter uma resposta”, informa Adriana Nascimento, assessora de imprensa do Sintap.
O Indea tem 886 servidores em todo o Estado e todas as unidades permanecerão fechadas nestes três dias. Se não forem ressarcidos, podem entrar novamente em greve.
Agentes penitenciários
Nesta quinta-feira (18) a categoria que também paralisa, por 24 horas, é a dos servidores do sistema prisional.
“É um protesto contra o não cumprimento pelo o governo do que foi acordado”, diz João Batista, presidente do Sindicato dos Servidores Penitenciários (Sindspen-MT).
Batista explica que deveria ter sido agendado concurso público em dezembro do ano passado, o que não foi feito. Assim, foi postergado para julho deste ano, mas ainda não cumprido. Além disso, a compra dos coletes balísticos também prometida não foi feita, nem a publicação da lei que autoriza o pagamento da jornada extraordinária de trabalho. Também é reivindicada a mudança no critério de progressão de carreira, instituindo-a para nível superior (hoje, vale para nível médio).
São 3 mil agentes penitenciários em Mato Grosso. A próxima assembleia, que pode deflagrar greve, acontece em setembro. Esta semana tentarão uma agenda dom o secretário de gestão.

Comentários