Policial Civil é preso por supostamente dar apoio ao filho em roubo em Diamantino-MT

Policial Civil é preso suspeito de dar apoio ao filho durante roubo na Loja Martinello em Diamantino.,

 Um policial civil de 55 anos, foi preso pela Polícia Militar suspeito de dar apoio ao filho durante um assalto a loja de eletromóveis Martinello, por ter sido encontrado com um revólver calibre 38 roubado em seu veículo. A prisão do policial aconteceu na noite dessa sexta-feira 02.02.18

De acordo com informações repassadas pela Polícia Militar, os PMs estavam em rondas pelas vias da  cidade no intuito de encontrar os criminosos que participaram do assalto a loja Martinello.
Durante buscas no bairro Novo Diamantino, os militares conseguiram localizar o menor de 17 anos, identificado como, L.M.L.S, que estava acompanhado do policial civil.

Diante das evidências de que o menor estava envolvido no roubo, os policiais prenderam o adolescente e liberaram o policial civil.

No entanto, durante o percurso até a delegacia, o menor confessou a participação no crime e de outros dois bandidos que moram em Cuiabá, sendo que um deles, é filho do policial.,
Na unidade policial, o menor afirmou que o agente deu apoio aos criminosos, incluindo o seu filho que estavam em uma na região de mata, na Comunidade Caeté e os levou à Cuiabá com as armas utilizadas no roubo e materiais roubados.

Diante da denúncia, os PMs saíram em buscas do policial. Ele foi encontrado dirigindo um veículo Gol, na Avenida J.P.F Mendes. Com o policial civil, foi encontrada um revólver calibre 38, registrada na Polícia Civil com sete munições intactas.

Durante buscas veicular, foi encontrado outro revólver calibre 38 e mais 30 munições do mesmo calibre e ainda a Carteira Nacional de Habilitação (CNH) do seu filho. Na checagem foi constatado que a arma roubada era de uma empresa de segurança privada do Estado de Mato Grosso do Sul.

Diante disso, o policial civil foi encaminhado à delegacia de policia para serem tomadas as medidas cabíveis.

Na unidade policial, várias vítimas do roubo da loja Martinello compareceram e reconheceram, por meio de imagens que o filho do policial era um dos assaltantes, e que o mesmo utilizava no roubo a arma de fogo encontrada no veículo do policial civil.

Os fatos foram encaminhados à Polícia Judiciaria Civil  para investigação.

A assessoria de imprensa da Polícia Civil afirmou que não existem elementos para afirmar que o policial civil participou do roubo e também afirmou que todas as acusações serão objetos de investigação.

A assessoria complementou dizendo que ele foi conduzido à delegacia por porte ilegal de arma de fogo e que o policial foi liberado após o pagamento de dois salários mínimos de fiança.







Comentários