Após perder na Justiça, prefeito adota lockdown nesta quinta

O prefeito Emanuel Pinheiro (MDB) afirmou que ordem não se discute, mas se cumpre e, mesmo contrariado, irá executar a decisão do Tribunal de Justiça e fechar as portas do comércio nesta quinta-feira (25). A determinação judicial exige o cumprimento do decreto estadual 522/2020, do governo do Estado, com requisitos a serem adotados para cidades com alto risco de contaminação, na qual Cuiabá e Várzea Grande se enquadram.

As duas cidades devem manter o funcionamento somente dos serviços essenciais, montar barreira sanitárias e fornecer cronograma de criação de leitos de Unidade de Terapia Intensiva (UTI).

Segundo o prefeito, 15 cidades se enquadram na classificação de alto risco e deveriam ser fechadas, mas “só duas estão sendo penalizadas”. O gestor voltou a dizer que Cuiabá é “tábua de salvação” da saúde do estado todo.

Pontua que as medidas tomadas não foram questionadas pelo Ministério Público Estadual (MPE) e, devido às medidas, o cenário está “sob controle”. Do contrário, os casos de contaminação e morte estariam muitos mais altos.

Na avaliação do gestor, o interior do estado não se preparou de forma adequada e não recebeu o apoio prometido.

“Nossos 95 leitos de UTI estão praticamente ocupados. 60% com irmãos do interior e 40% de cuiabanos”, afirma.

O prefeito afirmou que irá aumentar a frota de veículos do transporte coletivo nas ruas, para atender à população. Está em estudo a implantação da barreira sanitária, mas precisa de mais tempo para tanto. “Já me reuni com uma equipe técnica, mas o recomendo era não fazer. Mas como está na decisão, iremos ver isso. Porém precisamos de mais prazo”, relata.

Com o Decreto 7.970/2020em mãos, o prefeito afirmou que a quarentena coletiva obrigatória irá se estender entre 25 de junho e 9 de julho. As atividades essenciais seguem o previsto em decreto federal.

As 50 atividades essenciais elencadas seguem horário de funcionamento anterior à pandemia e respeito às medidas de prevenção à contaminação. A frota de ônibus estará 100% na rua. O toque de recolher continua em vigor até 28 de junho, entre 22h30 e 5h




Comentários