CRM diz que Prefeitura está retaliando quem aponta deficiências



BIANCA FUJIMORI

DA REDAÇÃO
O Conselho Regional de Medicina de Mato Grosso (CRM) acusou a Prefeitura de Cuiabá de afastar médicos que denunciam más condições de trabalho da rede municipal.

O apontamento se deu após a fala do secretário de Saúde de Cuiabá, Luiz Antônio Possas, segundo o qual parte dos profissionais estaria se acovardando diante da pandemia da Covid-19 e de que o CRM estaria “fazendo política”.

“Quem parece fazer política é a gestão municipal, que arbitrariamente vem removendo funcionários públicos que ousam denunciar as irregularidades que existem nas unidades hospitalares”, afirmou a presidente do conselho, Hildenete Monteiro Fortes.

Ela ainda relatou que os médicos do antigo Pronto Socorro de Cuiabá, que se tornou Hospital Referência em tratamento da Covid-19, sofreram retaliação por terem apontado deficiências na unidade.

“Já determinei a abertura de sindicâncias para apurar a conduta de médicos que integram a gestão municipal e estão utilizando do poder de hierarquia para tolher a prerrogativa que todo medico tem de denunciar condições inadequadas para a prática da medicina”, disse a médica.

Hildenete rebateu a acusação do secretário de que a categoria estaria se acovardando nesse momento. Ela apontou que médicos estão dando suas vidas para tratar pacientes com coronavírus, tendo em vista que dois profissionais já morreram por conta da doença.

“O secretário disse que os médicos são covardes. Esse foi o ataque mais duro que presenciei à classe médica. Definitivamente a classe médica não é covarde. Os médicos estão se dedicando incansavelmente”, apontou.

Diante disso, a presidente do CRM convocou os profissionais a se pronunciarem nas redes sociais sobre os trabalhos que estão realizando na pandemia para mostrar que a classe tem se empenhado.

“Nós não somos covardes, estamos na linha de frente com risco de sermos contaminados, até correndo risco de perder nossa vida”, completou.

Fonte: Mídia News

Comentários