Estado atualiza lista de municípios com classificação de risco muito alto de contaminação


A Secretaria Estadual de Saúde (SES-MT) divulgou nesta segunda-feira (27) o Boletim Informativo n°141 com o panorama da situação epidemiológica da Covid-19 em Mato Grosso. O documento mostra que três municípios do Estado configuram na classificação com risco “muito alto” para o novo coronavírus: Sorriso, Sinop e Vera.

Ainda de acordo com informações com o boletim, os municípios que estão na classificação de risco “alto” para a disseminação do coronavírus são: Cuiabá, Lucas do Rio Verde, Rondonópolis, Várzea Grande, Cáceres, Primavera do Leste, Peixoto de Azevedo, Barra do Garças, Mirassol D’Oeste, Campo Novo do Parecis, Jaciara, Sapezal, Querência, Nova Mutum, Poconé,  Nova Xavantina, Nova Olímpia, Nova Canaã do Norte, Barra do Bugres, Colniza, Tourixoréu, Guiratinga, Santa Terezinha, Jangada, Brasnorte, Castanheira, Carlinda e Araguainha.

O sistema de classificação que indica o nível de risco é definido por cores: muito alto (vermelho), alto (laranja), moderado (amarelo) e baixo (verde). De acordo com a definição dos riscos é necessária a adoção de medidas restritivas para o controle da propagação do coronavírus nas cidades. Os indicadores de classificação de risco são atualizados duas vezes por semana e os resultados são divulgados nos Boletins informativos da SES-MT.

Na semana passada, o Governo de Estado publicou novo decreto flexibilizando as medidas que devem ser adotadas pelos municípios, com base na classificação de risco para prevenir a disseminação da Covid-19.

O Decreto n° 573, publicado na última sexta-feira (24), altera as regras para os municípios classificados com os graus de risco alto e muito alto.

No grau alto, o Governo coloca como nova medida restritiva a proibição de festas e confraternizações familiares, “ainda que realizadas em âmbito domiciliar, com intensa e especial fiscalização pelos agentes fiscais, inclusive com apoio policial”.

Também fica retirado do grau alto a proibição de funcionamento de shoppings centers, bares e restaurantes. Nesta classificação, os serviços não-essenciais da iniciativa privada poderão funcionar com no máximo 70% da capacidade, “possibilitada a comercialização por meio virtual de serviços e produtos, mediante entrega por delivery, quando for o caso”.

Já para os municípios com grau de risco muito alto, continuam permitidos todos os serviços essenciais elencados pelo Governo Federal, incluindo o exercício da advocacia, os serviços de contabilidade e os meios de hospedagem.

Os demais serviços e atividades funcionarão com, no máximo, 50% da respectiva capacidade, também possibilitada a comercialização por meio virtual de serviços e produtos, mediante entrega por delivery, quando for o caso.

Fonte: Olhar Direto 

Comentários