Saúde em colapso: mais da metade dos internados com Covid-19 precisam de UTI em Cuiabá

Informe Epidemiológico sobre a Covid-19 elaborado pela Secretaria de Saúde de Cuiabá, com apoio de pesquisadores da Universidade Federal de Mato Grosso (UFMT), demonstra que entre os 513 casos que estavam internados, mais da metade (54,4%) ocupava leitos de Unidade de Terapia Intensiva (UTI) (279). Os dados foram colhidos entre 14 de março a 04 de julho de 2020.
Entre os internados em enfermaria/isolamento (234), 24,4% (57) eram residentes em outros municípios e entre aqueles que ocupavam leitos de UTI, 26,9% (75) também não residiam na capital, ou seja, em média, 74% dos leitos foram ocupados por residentes em Cuiabá.

A busca por atendimento hospitalar reflete esses resultados tendo em vista que a capital detém o maior número de leitos (gerais e leitos de UTI) pactuados para atendimento a casos de Covid-19 no estado.

Ainda conforme o Informe Epidemiológico, cerca de 43% dos indivíduos internados não referiram comorbidades. Entre as mais freqüentes destacam-se hipertensão (396), cardiopatia (159), diabetes mellitus (220), pneumopatia (53), doença renal crônica (58) e neoplasia (26).

A Pasta ressalta que a inexistência de vacina para prevenir a infecção tão pouco medicamento antiviral específico para seu tratamento, torna a prevenção a melhor estratégia para o controle da doença.
Portanto, é fundamental que sejam seguidas as medidas de isolamento social e do uso de máscara em locais públicos. Além disso, é necessário intensificar os cuidados de higiene pessoal, como lavar as mãos frequentemente, e evitar aglomerações, como eventos festivos, reuniões em bares e outros.

Fonte: Olhar Digital

Comentários